Ensaio sobre Sam

O filme I’m Sam conta a história de Sam Dawson, portador de retardo e cuja idade mental é de 07 anos. Sam é fã dos Beatles, trabalha como garçom em uma cafeteria e recebe em seu apartamento seus amigos, também portadores de condições psíquicas, para apreciar clássicos do cinema. Após ele ter uma filha com uma moradora de rua que estagiou-se na sua casa e fugiu logo após dar à luz, Sam enfrenta o desafio de cuidar de Lucy, sua filha, que é tomada pelas autoridades americanas quando completa 07 anos, as quais alegam a incapacidade de Sam Dawson para criar e educar a sua filha, considerando as suas limitações intelectuais. A trama do filme consiste na disputa judicial entre Sam, auxiliado por sua advogada e a promotoria pública americana, que tenta a todo custo desqualificá-lo enquanto pai. Esse texto tem como objetivo fazer uma análise de Sam Dawson, com base em características do retardo mental encontradas na literatura científica e suposições do autor, visto que existem limitações diagnósticas que seriam necessárias para uma eficaz classificação do retardo de Sam. Tal modelo textual, foi pensando diante do fascínio do autor ao assistir o filme, cabendo ressaltar a importância pedagógica do filme para fixação do conhecimento teórico acerca do Retardo Mental.

O manual conciso de psiquiatria na infância e adolescência classifica como retardo mental a incapacidade plena de exercício do funcionamento adaptativo, ou seja, a presença de déficits cognitivos e comportamentais de auto suficiência social e pessoal. Para tal diagnóstico, são necessários medidas da função adaptativa, que irão avaliar a competência individual no desempenho de tarefas cotidianas e medidas de função intelectual, as quais concentram-se nas habilidades cognitivas. Através da avaliação de suas capacidades funcionais, é possível estimar que Sam é portador de um retardo mental moderado (variação de QI de 35-50), o qual representa cerca de 10% das pessoas afetadas. Durante o filme, é possível perceber a instabilidade afetiva do personagem, movimentos repetitivos e estereotipados e alguns comportamentos auto agressivos leves frente a frustrações. Não foi possível avaliar de forma satisfatória a presença de comorbidades e alguns aspectos típicos do retardo moderado serão elucidados a seguir, com exemplos que remetem a trama fílmica:

Portadores de retardo mental moderado, desenvolvem linguagem e conseguem se comunicar: Sam consegue se comunicar, mas tem dificuldades em formular frases e pronunciar palavras complexas e, com frequência, utiliza frases características de letras de músicas ou filmes assistidos por ele. Sua fala tem curso lentificado e possui gagueira bem acentuada; é possível encontrar vícios e padrões bizarros de linguagem além de arborizações em alguns momentos da trama.

No retardo mental moderado, os probandos têm a escola como um desafio, e apresentam dificuldades de socialização: Sam tem dificuldades para contar dinheiro, o que demonstra suas habilidades matemáticas frágeis, argumento o qual ao longo da trama é utilizado também como um fator impeditivo para o auxílio de sua filha Lucy nas tarefas de casa; a solução encontrada por sua advogada foi inscrever Lucy em um programa que oferece professores gratuitos. Apesar disso, Sam parece ser bem relacionado, principalmente entre seus pares, também portadores de transtornos psíquicos, os quais compartilham de gostos semelhantes.

Quando adultos, probandos de retardo mental moderado podem ser capazes de realizar um trabalho semi qualificado sob supervisão adequada: Em seu trabalho na cafeteria, Sam não é capaz de fazer café – organiza as mesas e os pacotes de açúcar seguindo um mesmo padrão, além de receber os clientes. Quando o chefe de Sam resolve promovê-lo após quase uma década de trabalho, Sam não consegue gerenciar seu ofício, demonstrando claras fragilidades de memória de curto prazo ao passo em que esquece os pedidos, e se atrapalha demonstrando pouca coordenação motora sob situação de stress.

Apesar de suas limitações, Sam apresenta funcionalidade satisfatória, conseguindo gerenciar boa parte dos estresses sociais e econômicos que enfrenta durante o filme. Como exemplo, temos bons sinais de autopreservação e de adaptação a vida na cidade e seus riscos e a nítida resiliência do personagem durante julgamento da guarda de Lucy, mesmo diante de situações de exposição nítida por parte da promotoria que faz questão de exaltar a todo tempo as limitações de Sam. Ademais, é nítido o empenho do personagem em buscar novos meios de aumentar a sua renda, como o passeio com cães, com intuito, ainda, de estar mais próximo de sua filha Lucy, já que trabalha na mesma quadra que ela mora. Além disso, após se atrapalhar em seu emprego na cafeteria, Sam muda de emprego e passa a trabalhar em uma pizzaria, o que demonstra certo nível de poder adaptativo essencial para a sobrevivência. Tais características são suficientes para considerar Sam como um probando de bom prognóstico, considerando as limitações evolutivas de pessoas com retardo mental propostas pelo DSM-IV.

 

Referências Bibliográficas:

 

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorder DSM-IV. Draft, 1990.

SADOCK, B. J.; SADOCK, V. A. MANUAL CONCISO DE PSIQUIATRIA DA INFANCIA: E DA ADOLESCENCIA. Manole, Rio de Janeiro.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s